sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Dramas


(foto: Gustavo Barreto)
Mais do que o temporal (ou tempestade) que se abateu sobre o Estado, duas outras notícias me sensibilizaram muito: a da mãe que esqueceu a filha de seis meses no carro e esta faleceu; e a da mãe solteira, soldado dos EUA que, designada para o Afeganistão, fugiu, pois não tinha quem cuidasse de seu bebê, o qual seria mandado para um abrigo. A mulher, ainda, acabou presa.
Eu imagino a angústia e o drama dessas duas mamães, a primeira, porque sofrendo a dor de perder a filha por ato seu, do qual vai se culpar o resto da vida; e a outra por ter que se separar do filhinho sem saber para onde este será mandado, ou se será bem cuidado.
Coloquei-me no lugar delas e me deu um aperto no peito tão grande que não pude evitar as lágrimas. Imaginei se ocorresse comigo e com meu bebê, acho que o desespero seria tão grande, tanta dor que não sei se daria para suportar.
Essa sou eu como mãe, vivendo todos os dramas das outras, rezando todos os dias para que Deus proteja meu filho das tragédias e que eu seja sempre capaz de cuidar dele.

5 comentários:

Claudia Bins (Cacau) disse...

Oi Querida,

Primeiro, que bom ler seu comentário lá no Mosaicos... estava com saudades mesmo!
Dpois, realmente, eu tbm rezo todos os dias pedindo a Deus pela Manoela... tristezas como essas que você descreveu, não posso nem pensar... Olha só. lembrei de te avisar que tem uma promoção legal lá no blog Nectar da Flor, você que gosta de escrever ;-)

Beijo,

Clau

karla siqueira disse...

Notícias tristes realmente Angela.
Muito difícil imaginar o que essas mãe sentem neste momento, mas devemos nos solidarizar com elas. Um abraço pra vocês.
bjs
karla

Velejando nas Letras disse...

Oi Angela,

Estou chegando de viagem e passo por aqui para conferir as postagens do seu blog. Pelo que entendi, o Daniel Hiver foi um dos sorteados na promoção do livro Budapeste. Estou certa?

O post atual é de doer o coração. Quando nos tornamos mães criamos uma cumplicidade tão grande com todas as mães, que é impossível passar indiferente por notícias como essas.

Um beijão,

Angela

Velejando nas Letras disse...

Ah, agora que entendi que a JOANA foi a premiada no sorteio. Parabéns, Joana, e boa leitura!

Daniel Hiver disse...

Angela...
Eu vi pelo menos em dois canais a reportagem da mãe que esqueceu a filha dentro do carro. Realmente o tipo de notícia que me deixa muito triste. Depois que me tornei pai eu me tornei ainda mais sensível aestas histórias envolvendo pais e filhos com desfecho trágico. Eu sempre me coloco no lugar e tento imaginar como eu me sentiria se uma tragédia dessas se abatesse sobre mim. Essa notícia mesmo. Ao ouvir eu a pensar que, se fosse comigo, eu entraria numa depressão sem volta e morreria de tristeza. Não acredito estar exagerando. Amo demais minha filha. Demais! Demais!