domingo, 12 de agosto de 2007

Anjos


Você acredita em anjos?
Posso dizer que conheço alguns. Eles caíram de pára-quedas em minha vida (isso mesmo, de pára-quedas, porque esses anjos, de que falo, são diferentes, não tem asas), acho que enviados pelo cara lá de cima. O mais legal é que eles aparecem nos momentos cruciais, de dificuldades, mudança, perda, decepção, como para compensar um sofrimento relevante. Bom, né?
Não tinha me apercebido disso, de que eles aparecem nas tempestades, até recentemente conhecer o último deles. Deve ser porque nesses tempos difíceis, nosso discernimento fica um pouco comprometido, e a gente só pensa que foi injustiçado, que tal coisa não podia acontecer justamente conosco. Então eles aparecem, nos pegam no colo, curam nossas dores e ficam para sempre. A gente nem nota. Cito alguns.
Foi assim com a Fabi, um anjinho que apareceu quando eu mudava de cidade, em função do trabalho, e andava por aí como uma tartaruga com a casa nas costas. Amizade à primeira vista. Cheguei a pensar que não podia ser normal, porque jamais conheci uma pessoa como ela. É dessas pessoas que tem uma luz interior, algo que naturalmente cativa e acolhe. Como se estivessem sempre sorrindo por dentro. Não sei explicar. Apelidou-me de pintinho destemido, de mochilinha nas costas. Ajudou a desemperrar a janela e a deixar o sol entrar.
O Mano também surgiu num daqueles momentos em que você vaga pela vida meio sem rumo. Esse anjinho pegou-me pela mão e me mostrou que a vida vale a pena. Sua alegria, sua simplicidade, a beleza de sua alma contagiaram a minha e me fizeram acreditar de novo no ser humano, que é possível ser feliz.
Recentemente uns anjinhos incipientes - de grande potencial - tem povoado minha vida.
Bom, o momento difícil de agora, diríamos, é que tive uma grande frustração. O mar paradisíaco em que me encontrava transformou-se em Tsunami. Quase não sobreivi. O cara lá em cima se preocupou e resolveu mandar três anjinhos em seqüência para me cuidar.
A Kellizinha é um desses anjinhos brigões que quer te defender com unhas e dentes de qualquer um que possa te deixar triste. Não importa como, dá um jeito de fazer você rir da sua própria desgraça. E você ri mesmo. Ri muito. Ela esvazia o peso da sua mochila.
Renata é um anjo querido que despencou da sua nuvenzinha diretamente no meu Orkut. Para quem não tinha qualquer informação a seu respeito e achava que nunca mais a encontraria, a conclusão lógica é que só pode ter um dedinho do amigão de novo, dessa vez se utilizando da tecnologia para incutir esse outro anjo. Renata tem a sinceridade e a retidão como seus princípios, virtudes escassas nas pessoas hoje em dia, mas que não se estranha encontrar em um anjo. Sua amizade dedicada se revelou um presente, e seu apoio, fundamental para superar a tristeza. Surpreendi-me com a amiga que encontrei. É como pisar, de novo, no chão, com os pés nus, depois de tirar doloridas sandálias de salto
Então, com Renata, veio o terceiro anjinho. Cara de menino pestinha, os olhos, no entanto, desmentem-no, revelando toda a pureza do que ele é. Gustavo é daquelas pessoas transparentes, sensíveis, amáveis, desses caras verdadeiros que a gente já não acredita que exista hoje em dia. Pense em algo doce. Conhecer esse anjo equivaleu a um cutucãozinho no ombro que instiga: "ei, nem todo mundo é igual."
Olhe ao seu redor e veja se você também não tem esse tipo de pessoa em sua vida.
O Exupéry dizia que a gente tem que suportar duas ou três larvas para ver as borboletas. Eu diria que a gente tem que passar por uma ou duas difíceis, se quiser conhecer os anjos. No final, o saldo é positivo: a tristeza passa, os anjos ficam. Inclusive impedindo outras pequenas tristezas de se manifestarem. Até que caia outro temporal. Mas esses são mais raros e, apesar de não existirem guarda-chuvas contra eles, trazem os anjos. Não se preocupe: o habitual são as chuvas de verão. Molham muito, mas secam logo.
Ah, tem mais uma coisa: os anjos transformam os Tsunamis em chuvas de verão. Acho que vale a pena!

2 comentários:

Kelli Pedroso disse...

Que lindo, Angela! Estou emocionada! O "anjinho" aqui vai sempre cuidar da "guriazinha" e fazer de tudo para vê-la sorrir, sempre! Beijo!

Gustavo Barreto disse...

Faço minhas as palavras de Kelli, estou emocionado por fazer parte desta lista em tão pouco tempo que lhe conheço.

O anjo mais importante da tua vida encontra-se diante do espelho. Você é muito especial.

Adoro-te!!