quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Crime e Castigo

Terminei finalmente de ler Crime e Castigo de Dostoiévski. Depois de várias pausas, retomei e, com algum esforço, consegui acabar.
Não é digamos uma leitura de férias, pois o livro é denso ao extremo, cansativo, cheio de detalhes. Conta a história de um rapaz que comete um duplo assassinato - ele mata uma velha agiota para roubar seus bens e acaba matando também a irmã que aparece no local - e depois vive um drama pscicológico devido ao sentimento de culpa e arrependimento. Tanto que não consegue usufruir do que rouba e acaba enterrando sob uma pedra em algum lugar em via pública.
O mérito da obra, na minha opinião, está justamente nos fluxos de consciência dos personagens, seus medos, desejos e apreensões. O leitor vive intensamente o drama e a loucura do assassino e o peso de seu ato e acaba até torcendo por ele, por verificar que, no fundo, não é má pessoa, é um doente que cometeu um erro fatal.

8 comentários:

~*Rebeca e Jota Cê*~ disse...

Ah, contou o livro!

Brincadeira. Sempre ouvi falar, sempre quis ler, mas a preguiça nunca me deixou.

Agradeço as palavras, viu!

até mais.

Jota Cê

Claudia Bins (Cacau) disse...

Oi Ângela,

Que engraçado... eu estou lendo Os Irmãos Karamasovsky há uns 3 anos já... e não consigo terminar, pelos mesmos motivos que você citou. Leio em inglês ainda, só para ficar um pouco mais difícil ainda kkkk. Mas interessante que, pelo que vc contou, a essência é a mesma. Também existe crime, erro fatal, família (no caso ódio entre pai e filhos), uma salada densa de sentimentos e confusões.

Seu post me estimulou a voltar a lê-lo! Pronto, vou recomeçar hoje mesmo! ;-)

Beijo grande,

Cacau

Velejando nas Letras disse...

Adorei a sua sinopse. Ainda não li Crime e Castigo, mas por ser considerado um clássico da literatura imagino o quanto rico deva ser em conteúdo. Mesmo cansativo, espero um dia vencer a preguiça e me render à leitura de Dostoiévski.

Sabrina Jung disse...

Oi Angela!
Eu comecei Noites Brancas e não consegui terminar, já faz um ano.
Na verdade durante o ano não consigo ler como gostaria, por causa da faculdade. E este ano começo o TCC, imagina só.Minha pilha de livros vai aumentando, mas não consigo ler tudo.
Obrigada pela felicitação no meu aniversário e desculpa só agradecer agora. É que fiquei muito tempo sem internet por causa de uma reforma aqui em casa.
Teu bebê é lindo!! Parabéns!
Família é tudo na vida da gente, curte bastante a tua!
Bjo grande!

Sheyla Amaral disse...

Li Crime e Castigo quando tinha 18 anos e foi amor à primeira leitura, comi o livro, praticamente e depois desse, vieram os outros livros e outros russos, Nabokov e Tchekhov são meus favoritos, mas meu primeiro amor literário, será sempre Dostoievski. A respeito da tua interpretação, claro, cada um sente diferente os personagens e ação, mas Ródion roubou não apenas motivado pelo dinheiro, o dinheiro era secundário. O personagem era inteligente e orgulhoso, se colocava à parte da humanidade, que ele dividia em dois blocos: os que faziam acontecer e os que apenas obedeciam. Claro, que ele era da primeira ordem, rs. E o final, com a redenção dele aos pés de uma mulher, prostituta, é apoteótica. Salve, Dostoievski!
Abraço e boas leituras!

Anônimo disse...

EU não li e nem vou ler.
vcs já contaram tudo que acontece.

Angela Dal Pos - Morena de Pintas disse...

Gente, eu não contei o livro (aliás seria impossível contar toda a trama envolvida na obra do escritor). Contei apenas o início (crime) e minha impressão geral sobre os personagens. Daí dizer que contei o livro (ou a Sheyla em seu comentário)nessas poucas linhas é até uma ofensa ao mestre Dostoievski. Quem/ler entenderá o que estou falando. Abs e obrigada a todos pelos comentários.

Aymee Meira disse...

Amo esse livro, está minha estante dos favoritos. :D
beijos
boa semana.